Redes Sociais na Educação: Confira 7 dicas e desenvolva vantagens competitivas

Redes Sociais na Educação: Confira dicas e desenvolva vantagens competitivas importantes!

Estar online já deixou de ser uma estratégia secundária para aumento de lucratividade. Essa é uma estratégia cada vez mais importante para o desenvolvimento de vantagens competitivas no mercado da educação.

No caso de uma instituição de ensino, que busca captação de alunos majoritariamente jovens, estar presente nas mídias sociais é estar mais próximo do seu público-alvo.

Ter um perfil numa rede social pode garantir muitos seguidores, mas nem sempre isso resulta no aumento das matrículas em sua instituição. É preciso buscar dois princípios básicos: a humanização e o relacionamento. Confira 7 dicas para desenvolver vantagens competitivas nas redes sociais e atrair alunos!

1. Conheça seu público-alvo

Você está oferecendo um serviço que vai estabelecer uma relação de longo prazo com o seu cliente. Assim, é importante que você direcione bem a sua oferta para garantir que os leads tornem-se alunos.

Isso se faz com mais eficiência quando você conhece seu público-alvo: onde está, quais as mídias mais acessadas, seus principais interesses e como se relaciona. Assim, você pode definir personas e comportamentos para alimentar seu planejamento.

redes sociais na educação vantagens

2. Defina as redes sociais

As redes sociais não estão relacionadas diretamente com o ato da venda. Mas podem ajudar na consolidação da marca e no aumento do capital social da instituição.

A boa rede é aquela onde está seu público-alvo. As empresas costumam utilizar muito mais o Facebook por conta do número de usuários, mas outras preferem utilizar o Whatsapp por conta do relacionamento direto com o cliente.

Uma pesquisa realizada com 1.772 homens e mulheres à partir de 16 anos, de todos os estados do Brasil e de todas as classes sociais realizada pelo OpinionBox ,apontou dados interessantes:

  1. O Facebook continua sendo a rede social mais popular entre os brasileiros, representando 94% dos internautas. O Instagram apresentou 54% dos usuários, enquanto o Twitter teve 35% da parcela.

  2. A preferência varia com a idade. 69% dos jovens até 29 anos escolheram o Facebook, enquanto 19% preferiram o Instagram. Dentre os que possuem entre 30 e 49 anos, 79% preferem o Facebook e 11% o Instagram. Para os que têm 50 anos ou mais, 87% preferiram o Facebook e apenas 5% o Instagram.

  3. Estimativas apontam que 80% dos negócios serão fechados através do YouTube até 2030. Se você ainda não possui uma estratégia de desenvolvimento de vídeos, pode ser a hora de começar a pensar nela!

Veja aqui como criar um perfil comercial no Instagram.

3. Elabore o conteúdo de educação

É preciso que você atraia a atenção do lead à partir de um conteúdo bem pensado, que seja importante para ele. Se não, o contato não continuará e não haverá chance dele se tornar aluno. Por isso, pense o material com cuidado a partir dos dados coletados.

Os assuntos mais populares nas redes sociais dos brasileiros são notícias em geral (58%) e humor (53%). Além disso, os internautas também gostam de postar ou acompanhar postagens sobre filmes e séries (48%), cultura e entretenimento (44%), culinária e gastronomia (42%) e saúde e vida saudável. Outros assuntos, como esportes, tecnologia e religião, foram apontados por menos de 40% dos entrevistados.

Um recurso importante é contar histórias sobre a instituição. Apresentar conquistas por meio de storytelling pode mostrar os seus valores e atrair simpatias.

Mas, cuidado: não se autopromova excessivamente, não torne o conteúdo repetitivo, não seja excessivamente formal e use hashtags corretamente.

4. Forme uma comunidade digital sustentável

Uma comunidade digital sustentável é um conjunto de pessoas diferentes que interagem e colaboram entre si. Mas isso só acontecerá se os seguidores das suas redes sociais conversarem entre si e, não apenas, com o perfil da instituição de educação.

Por isso, é preciso que os seguidores sejam incentivados a isso. Se um deles passar por um problema, é muito mais interessante que ele se sinta à vontade de expor isso na comunidade para que outro usuário que passou por algo parecido o responda. Assim, cria-se um ambiente mais favorável para um lead se tornar aluno.

 

5. Conquiste capital social

É muito importante que a sua instituição seja “bem falada”, o que nada mais é do que uma publicidade indireta.

Esse é o capital social: redes de relacionamento e educação baseadas na confiança e na cooperação, que facilitam o acesso de indivíduos à informação e ao conhecimento. Mas só é possível manter esse capital desenvolvido com um bom conteúdo e com uma boa comunicação com e sobre a sua instituição.

Como aumentar a captação de alunos na sua escola

6. Monitore suas redes socias

Esteja sempre atento ao que terceiros falam em redes sociais! Monitorar pode ajudar a identificar comentários e dúvidas.

É possível utilizar um software que consiga capturar e ordenar as informações e transformá-las em gráficos. Assim, fica mais fácil fazer análises sobre falhas e formar planejamentos mais detalhados.

Mas não se esqueça de que é importante cuidar dos comentários e das dúvidas direcionados à sua instituição. O consumidor de hoje exige velocidade na resposta para levar uma empresa a sério.

7. Busque feedbacks para desenvolver vantagens

Aqueles leads que já se tornaram alunos podem dizer muito sobre seus pontos fortes. Procure esses alunos e os questione diretamente sobre as qualidades de sua instituição. Mostre também o conteúdo da rede social e peça opiniões sobre ele.

Além disso, é possível criar enquetes, participar de grupos de discussões e de outros espaços na página para contatos e alunos expressarem ideias.

10 respostas para “Redes Sociais na Educação: Confira 7 dicas e desenvolva vantagens competitivas”

Deixe uma resposta