Entenda a importância de estudar inglês para o crescimento profissional

Para o nosso crescimento profissional, seja dentro de uma empresa, seja nos tornando empreendedores e ter sucesso, é necessário desenvolver algumas habilidades que nos ajudam a melhorar o desempenho no mercado de trabalho.

Muito disso se deve à mudança de relacionamentos dentro do mundo corporativo, visto que hoje percebemos o avanço da globalização e a expansão de negócios multinacionais.

Nesse sentido, o inglês se tornou uma ferramenta indispensável para quem almeja crescer nos negócios. Assim, dominar um segundo idioma é um pré-requisito para se candidatar à uma boa vaga de emprego ou abrir um empreendimento com significativa vantagem competitiva.

A língua inglesa é considerada o idioma oficial em mais de 55 países, incluindo os Estados Unidos (267 milhões de pessoas), Índia (125 milhões) e Reino Unido (60 milhões).

Ao todo, somam-se cerca de 375 milhões de pessoas que têm o inglês como língua nativa e 750 milhões que falam inglês como língua estrangeira. O idioma é o terceiro mais falado no mundo, atrás somente do mandarim e do espanhol.

Devido a todos esses números, percebe-se a importância de falar inglês para o crescimento profissional, ainda mais em empresas globalizadas, multinacionais e que mantêm contato com filiais estrangeiras.

Não somente isso, o inglês amplia o relacionamento com o público e possibilita a comunicação com mais pessoas, clientes, fornecedores e parceiros.

Além disso, ter uma segunda língua – especialmente o inglês – é uma forma de ampliar as redes de contatos e criar oportunidades, tanto no mundo corporativo, quanto na vida pessoal.

Quer dizer que, ao adquirir este conhecimento é possível agregar valor como um todo, seja na hora de fazer uma viagem/intercâmbio, seja para se relacionar com pessoas de diferentes culturas.

Quem domina o inglês pode ir a qualquer lugar, pois, a comunicação será efetiva. Devido à sua popularidade, grande parte dos países adota a língua inglesa como segundo idioma. Assim, mesmo na China – onde domina o mandarim – é possível se comunicar com facilidade, se souber o inglês.

Inglês no mundo dos negócios e os empreendimentos que precisam da segunda língua

Saber dialogar com clientes e equipes em qualquer lugar do mundo é um diferencial. Por isso, quem tem essa capacidade estará sempre à frente no mercado de trabalho, conquistando as melhores vagas de emprego.

Além disso, quem costuma falar dois idiomas tem mais chances de conseguir um salário melhor.

O inglês no ramo da Estética

Dessa forma, muitas empresas dão preferência ao funcionário bilíngue. No ramo de estética, por exemplo, muitos treinamentos são feitos em inglês, até porque os produtos são importados e as técnicas têm origem em país estrangeiros (principalmente, nos Estados Unidos).

Assim, um tratamento simples como o preenchimento labial masculino é feito a partir de métodos estrangeiros que alcançaram popularidade no Brasil.

Ademais, o procedimento era feito com injeção de ácido hialurônico, usado não somente para o preenchimento labial, mas também para sulcos e linhas de expressão.

Hoje, com o avanço da técnica, existem muitos produtos importados capazes de oferecer um resultado ainda melhor.

Ainda no mundo da estética, outro tratamento estrangeiro que fez sucesso no Brasil é o alongamento de cílios híbrido.

Apesar da ideia de colocar cílios não ser algo novo (desde 1911 há registro do uso de cílios postiços em celebridades nos Estados Unidos), a técnica somente se popularizou alguns anos atrás, tendo seu desenvolvimento no Japão e Coréia.

Por isso, grande parte dos treinamentos para implantação de cílios –  ainda mais quando surgem novos métodos e produtos –  é feito primeiramente em inglês.

Com isso, quem quer se destacar no mundo dos negócios tem mais chances de aprender o método antes que outras empresas, considerados pioneiros.

O inglês no ramo de Serviços

Não somente na estética o inglês é importante, mas também para outros negócios, como profissionais que lidam diretamente com o público. A área de hotelaria e eventos merece destaque, pois o Brasil é um dos países que mais recebe turistas estrangeiros.

Desse modo, é cada vez mais comum a contratação de recepcionista para eventos, camareiras, garçons e atendentes que dominem o segundo idioma, para tornar a comunicação com os clientes ainda mais efetiva.

Além disso, muitos termos do inglês são usados no ramo de Serviços como, por exemplo, o VIP (Very Important Person, pessoa muito importante), feedback, entre outros.

A relação com o público também deve ser efetiva para motoristas e profissionais do ramo de transportes. Muitas empresas que oferecem carros para executivos dão preferência aos colaboradores que dominam o inglês, já que muitos estrangeiros vêm até o Brasil com finalidades de negócios.

Assim, a comunicação é facilitada, evitando embaraços com os clientes e influenciando em um atendimento melhor.

O inglês nos esportes

Além de todos os aspectos positivos já citados anteriormente que envolvem o domínio de uma segunda língua, é importante considerar que o inglês aparece como uma língua de predominância no ramo esportivo.

Isso porque muitos atletas e jogadores lidam com profissionais de outros países, ainda mais em jogos competitivos (futebol, vôlei, basquete).

Vale ressaltar que os atletas também podem treinar e ser orientados por profissionais estrangeiros, como um personal trainer particular dos EUA, países da Europa, entre outros.

Portanto, pessoas que trabalham ou vivem no mundo do esporte devem ter o inglês como segunda língua, ampliando as possibilidades de relacionamento na área.

Entre outras vantagens do inglês para atletas, destacam-se:

  • Melhor comunicação com juízes e técnicos;
  • Melhor comunicação com os competidores;
  • Melhor compreensão das estratégias de jogo;
  • Melhor interação com a cultura, quando jogam em outros países.

O inglês é importante para todos os ramos profissionais?

Sim! Além dos mencionados acima, o inglês é muito importante para todos os ramos profissionais.

Por exemplo, se você está lidando com uma empresa de licenças, principalmente para empreendimentos civis, deve saber as normas, legislações, técnicas e outros pormenores que envolvem a gestão ambiental em obras de construção civil.

Mesmo que as leis sejam brasileiras, existem medidas internacionais sobre preservação e sustentabilidade, assim, os profissionais da área devem conhecer quais são os ditames internacionais, saber lê-los e interpretá-los, para oferecer a melhor solução.

O mesmo vale para todos os demais colaboradores da construção civil, desde o engenheiro responsável pelo projeto, até o trabalhador que irá fazer a terraplanagem de terreno.

Imagine ser contratado por uma empresa multinacional, em que o projetor é gringo – o melhor é sempre dominar um segundo idioma para que a comunicação seja efetiva e não haja desencontro de informações durante os trabalhos, o que pode ser prejudicial.

Ademais, muitos equipamentos de construção civil e da indústria possuem o manual de instruções em inglês, como é o caso de alguns modelos do gerador de energia solar.

Por ser uma fonte de energia limpa e sustentável, cada vez há mais investimentos na alternativa energética. Contudo, muitos avanços têm origem em países fora do Brasil, com uma tecnologia importada.

Por isso, o domínio do inglês é essencial para saber como se dá o funcionamento de cada item.

Além do mercado de trabalho: o inglês no mundo acadêmico

Vale ressaltar que fora o mercado de trabalho, o inglês é fundamental para quem deseja seguir a vida acadêmica.

Hoje, grande parte dos estudos, pesquisas e investigações são publicados em inglês. Principalmente textos científicos e publicações internacionais. É uma forma de democratizar o conteúdo para mais pessoas.

Fora isso, muitas obras da universidade não possuem tradução – não só livros, mas também artigos, revistas acadêmicas e avaliações. Até mesmo projetos de pesquisa e trabalhos de conclusão de curso (TCC) podem ser encontrados em inglês.

No caso de congressos internacionais, é obrigatório escrever, pelo menos, um resumo (abstract) em inglês para que os avaliadores possam compreender e entender mais a pesquisa realizada.

Outra vantagem diz respeito ao intercâmbio estudantil, já que muitas universidades exigem o certificado de proficiência em idioma estrangeiro.

Apesar de todos os benefícios de aprender inglês, seja para crescimento profissional seja para a vida acadêmica, uma recente pesquisa da Catho demonstrou que o desempenho na língua inglesa do Brasil ainda precisa ser melhorado.

De acordo com o estudo, menos de 3% da população do país tem o inglês fluente e somente 5% tem fluência em um segundo idioma.

Os dados são preocupantes, pois mostram um déficit no Brasil no que diz respeito à educação para uma língua estrangeira. Ou seja, há muito o que ser melhorado.

Sendo assim, percebe-se a importância de ampliar o ensino de inglês para mais pessoas no Brasil, promovendo melhores oportunidades de emprego, crescimento no mercado de trabalho e novas possibilidades de estudos.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta